Informações vazadas de reunião secreta na Globo apontam para duro golpe que Luciano Huck irá sofrer

As informações divulgadas pelo colunista do portal IG, Alessando Lobianco, trouxeram a tona o conteúdo da “reunião secreta” realizada na emissora Rede Globa. Na reunião, a pauta principal discutida entre os executivos foi o orçamento e os programas da grade da emissora. Nas palavras de Alessandro: “ao longo do encontro realizado, uma coisa restou bastante clara: o grande desconforto que os executivos sentem em relação ao salário mensal do apresentador Luciano Huck, que gira em torno de R$3,5 milhões por mês. A cúpula da emissora passou a enxergar esse valor como sendo um problema”.

Você pode se interessar  Mais uma para conta: Globo é processada em 15 milhões por suposto plagio em ' A Dona do Pedaço' entenda

Tendo em vista o valor astronômico do salário do apresentador, a Rede Globo de Televisão estaria disposta a perder Luciano Huck. De acordo com o Portal IG, tanto o cenário econômico quanto o cenário político enfrentado pelo país pode obrigar a emissora a fazer uma redução gradativa no valor do salário do apresentador até o final do contrato.

Você pode se interessar  Hang processa cantor de esquerda em R$ 100 mil por danos morais

Com isso, um ponto ficou bastante claro nos bastidores da emissora: Luciano Huck passa por um período de desprestígio muito grande. Após a saída de Fausto Silva da Globo e do comando do “Domingão do Faustão”, muitos internautas e telespectadores afirmam que as tardes na emissora nunca mais foram as mesmas. O então comandante das tardes de domingo acumula diversos fracassos em suas transmissões.

A situação dramática enfrentada por Luciano Huck se deve principalmente a postura de “lacração” adotada, assim como os ataques ao então presidente Jair Bolsonaro. Tudo isso prejudicou de forma significativa a imagem de Luciano Huck junto aos telespectadores. A empreitada do apresentador em seu discurso populista e “apoiador de minorias” não agradou o público e contribuiu uma grande negação, deixando-o em uma situação bastante preocupante. Enquanto isso, Bolsonaro segue em campanha pelo Brasil, “arrastando” milhares de populares em suas passagens pelas cidades.