duas Professoras são presas por picharem muro com frase contra Bolsonaro em MG

Na madrugada da última quinta-feira (23) duas professoras foram presas na cidade de Montes Claros, norte de Minas Gerais, por suspeita de picharem um  muro com frases contra  o chefe do executivo Jair Messias Bolsonaro.

Uma equipe da Polícia Militar (PM) fazia um patrulhamentos nas imediações do Parque de exposições por volta das 3 horas da madrugada, quando avistaram um muro pichado com tinta fresca, escrito  “Abaixo o governo militar genocida de Bolsonaro. Morte ao latifúndio”.

Você pode se interessar  Bolsonaro cresce e lula cai diz pesquisa BTG/FSB

Segundo informações da Polícia, as mulheres de 39 e 43 anos  estavam próximas do muro e “largaram ao solo algum objeto e passaram a andar rapidamente indo em direção à linha férrea próximo de um local já conhecido pelo comércio de entorpecentes”.

Ao serem abordadas, as duas mulheres negaram terem feito a pichação, porém acabaram entrando em contradição, pois no sapato de uma delas havia respingo de tinta vermelha, As duas mulheres se identificaram como professoras e receberam voz de prisão.

Você pode se interessar  Saiba quem deve ser o vice de Bolsonaro nas eleições

Ao chegarem na delegacia,  as professoras disseram que estavam nervosas pois uma delas estava passando mal. Logo após assinarem um  termo circunstanciado de ocorrência as professoras foram liberadas.

Você pode se interessar  Presidente do PCO alerta para "golpe" de Moraes contra Bolsonaro (veja o vídeo)

Em nota, a Sociedade Rural de Montes claros, administradora do Parque de Exposições, lamentou a pichação e afirmou que tomará providências.

– A Sociedade Rural de Montes Claros lamenta o ocorrido e tomará as devidas providências para reparar os prejuízos provocados no muro do Parque de Exposições João Alencar Athayde, desejosa de que ações como esta não se repitam, já que configuram crime –disse a sociedade.